Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami; VÍDEO

  • 03/04/2024
(Foto: Reprodução)
A equipe visitou o Centro de Referência em Saúde Indígena, que foi inaugurado pelo Governo Federal em 2023 para enfrentar a crise humanitária. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami O Profissão Repórter desta terça-feira (2) mostrou a rotina de profissionais da saúde no território Yanomami. A equipe visitou o Centro de Referência em Saúde Indígena, que foi inaugurado pelo Governo Federal em 2023 para enfrentar a crise humanitária (veja no vídeo acima). A médica Ana Paula Pina Borges, com mais de 20 anos de experiência em saúde indígena, foi quem apresentou o local. Ela destaca os problemas causados pelo contato dos indígenas com garimpeiros, que levaram doenças como a malária. "Essa é uma região virgem, não tinha contato, o contato se deu pela porta dos fundos do garimpo e os garimpeiros trouxeram a malária, porque a malária não é do Brasil, ela é importada, no entanto, nós temos mosquito que é vetor, então todos ficaram com malária, não conseguiram colher, não conseguiram plantar”, relata a ginecologista obstetra. Na base de saúde de Surucucu, a alta incidência de malária levou à criação improvisada de um laboratório para a testagem da doença. Falciparu e vivax são os 2 tipos de malária diagnosticados entre os pacientes na região. A mais grave é a Falciparum, que pode levar até a morte se não tratado. Enquanto a vivax, mais comum, causa febre alta e dores pelo corpo. Para enfrentar essa crise, o Ministério da Saúde fez a entrega de um médico mais eficaz de dose única para tratamento da malária vivax. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami; VÍDEO Reprodução/TV Globo "Ele quase morreu ontem”, diz a mãe de um menino indígena, que foi diagnosticado com malária. “Eles já têm uma privação de ferro, aí vem a malária e quebra as poucas enzimas que eles têm [...] Isso é o resultado de um contato desastroso que foi por meio dos garimpeiros. Trouxeram a doença, os maus costumes, alcoolismo, prostituição", ressalta a doutora. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami; VÍDEO Reprodução/TV Globo Falta de estrutura Médica que cuida de pacientes na Terra Yanomami fala sobre incidência da malária na região O Centro de Saúde de Surucu atende 10 regiões, com cerca de 120 comunidades Yanomami. Os pacientes que chegam em estado mais grave, que não podem ser tratados por ali, são levados para os hospitais de Boa Vista. “Aqui nós temos condições só de estabilização para manter o paciente grave. É difícil se não tiver essa equipe de saúde aqui. Não tem acesso a outra coisa. Mas essas doenças precisam de medidas químicas e enérgicas para se convalescer e recuperar”. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami Reprodução/TV Globo Malária, fome, garimpo: Profissão Repórter mostra situação dos Yanomami um ano após ação do governo; VÍDEO Resistência para ir para cidade 'A gente sempre está tentando salvar uma vida': equipe médica socorre mãe Yanomami e seu bebê doente A equipe presenciou a chegada de um helicóptero no polo da base de Surucuru com uma mãe Yanomami e seu bebê doente. Enquanto o bebê era atendido pela equipe médica, a mãe chorava. A doutora Ana Paula destaca que esse tipo de situação é comum. “Sempre elas [mães Yanomamis] chegam muito chorosas, choram muito, têm medo do nenê morrer, têm medo de ir para Boa Vista, porque eles são de recém contato, sabe? Então sempre a gente tem que fazer esse acolhimento para acalmar". Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami Reprodução/TV Globo A médica menciona que a resistência das mães em ir para a cidade é influenciada por histórias negativas que ouvem: “Como eles escutam muitas histórias ruins da cidade, que eles vão para lá doente e fica na Casai muito tempo, demora para voltar, então, assim, tem uma resistência muito grande", comenta Ana Paula. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami Reprodução/TV Globo 'A gente sempre está tentando salvar uma vida' Um quadriciclo, que funciona como uma espécie de ambulância, transporte os pacientes até a pista do avião onde eles embarcam para Boa Vista, pois o bebê não pode ser tratado em Sucururu. “A gente sempre está tentando salvar uma vida e as coisas aqui não são fáceis. A gente precisa sim de um olhar melhor para que a gente tenha mais assistência, para que a gente consiga fazer o nosso cuidado melhor possível', ressalta a enfermeira, Lara Cristina Dorneles. Profissão Repórter acompanha a rotina dos profissionais de saúde na Terra Indígena Yanomami Reprodução/TV Globo Veja a íntegra do programa abaixo: Edição de 02/04/2024 – Saúde Yanomami Confira as últimas reportagens do Profissão Repórter abaixo:

FONTE: https://g1.globo.com/profissao-reporter/noticia/2024/04/03/profissao-reporter-acompanha-a-rotina-dos-profissionais-de-saude-na-terra-indigena-yanomami-video.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes