Polícia investiga guardas municipais suspeitos de torturar adolescentes em situação de vulnerabilidade dentro de abrigo

  • 02/04/2024
(Foto: Reprodução)
Agentes foram denunciados por usarem spray de pimenta durante confusão no local. Polícia investiga guardas municipais de Maringá após denúncia de tortura A Polícia Civil investiga quatro guardas municipais suspeitos de terem torturado alguns adolescentes em situação de vulnerabilidade. Segundo a investigação, o caso aconteceu no dia 18 de março, em um abrigo em Maringá, no norte do Paraná. O local é mantido com recursos da prefeitura. Os guardas foram afastados das funções e proibidos pela Justiça de se aproximarem das vítimas. ✅ Siga o canal do g1 PR no WhatsApp ✅ Siga o canal do g1 PR no Telegram A RPC não conseguiu localizar a defesa dos suspeitos. O g1 tenta saber quem são os advogados. O abrigo acolhe 13 adolescentes e 2 crianças de 11 anos em situação de vulnerabilidade, sem envolvimento com infrações criminais. De acordo com a delegada Karen Friendrich, do Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente (Nucria), houve uma confusão no abrigo e uma educadora social que trabalha na instituição chamou a Guarda Municipal. Caso é investigado pelo Nucria de Maringá Reprodução/RPC Segundo a delegada, os agentes usaram spray de pimenta contra crianças e adolescentes, alguns que, inclusive, estavam dormindo. A educadora, conforme a investigação, não teria acionado o socorro médico depois que os adolescentes começaram a passar mal por conta do spray. Leia mais: Apucarana: Novo modelo de faixa de pedestres chama a atenção Pato Branco: Laudos falsos de câncer usados por médica suspeita de fraudar diagnósticos eram feitos em máquina de xerox, diz delegado A prefeitura informou que a profissional, que é servidora municipal, pediu exoneração. Em nota, reforçou que repudia qualquer tipo de violência. A Secretaria Municipal de Assistência Social disse que está dando suporte psicológico aos adolescentes do abrigo. A delegada do Nucria informou que os guardas podem responder por tortura e lesão corporal. Nos próximos dias, ela deve ouvir outros educadores, técnicos e o diretor do abrigo. Mais assistidos do g1 PR Leia mais em g1 Norte e Noroeste.

FONTE: https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2024/04/02/guardas-municipais-sao-suspeitos-de-torturar-adolescentes-em-situacao-de-vulnerabilidade-dentro-de-abrigo.ghtml


#Compartilhe

Aplicativos


Locutor no Ar

Peça Sua Música

Anunciantes